top of page
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn ícone social

Campanha Litoral Protegido

Introdução e Contexto

A música sempre esteve presente na história da humanidade, sendo uma de suas mais antigas formas de manifestações artística e exerce uma profunda influência nos seres humanos, tendo papel importante em diversos âmbitos, como na política, na psicologia, na comunicação, nas artes, nas diversas ciências, entre outros. Além disso, sua presença no cotidiano da população é relevante para definir os gostos, as preferências e a expressão cultural de um povo. Em entrevista à BBC, a neurocientista americana Maryanne Wolf aponta que "ler é um conjunto adquirido de habilidades que permite fazer novas conexões entre regiões visuais, da linguagem, de pensamento e emoção". Segundo ela, "a habilidade de ler não existe naturalmente dentro de nossa cabeça. Cada pessoa que aprende a ler tem que criar um novo circuito em seu cérebro." Transformar nossa relação com o mar é urgente e imprescindível!

As zonas costeiras brasileiras têm sido alvo de vários problemas ambientais ao longo das últimas décadas, devido, principalmente, aos efeitos do crescimento demográfico com o aumento da ocupação desordenada. Faz-se necessário então, compreender os impactos dessa pressão demográfica sobre as faixas praiais. A erosão costeira é um problema relevante para o estado de Pernambuco (no nordeste do Brasil). A zona costeira deste estende-se ao longo de 13 cidades, incluindo a capital Recife, considerada a 16ª cidade mais ameaçada do planeta pelas mudanças climáticas com o aumento do nível do mar, segundo o Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas da ONU (IPCC). Cerca de 56% da população vive nesta área, que possui significativa infraestrutura residencial, industrial, comercial e centros financeiros.

 

Um olhar especial sobre o litoral ganhou ainda mais importância com o estabelecimento pela ONU da agenda "Década do Oceano". Em 2017, a Organização das Nações Unidas (ONU) propôs a Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável. Com ações provenientes de uma interlocução entre instituições científicas e governos, espera-se que, no período de 2021 a 2030, sejam favorecidas as gestões a favor do ecossistema marinho-costeiro em benefício da humanidade. Apesar disso, ainda segue com poucos quadros e infraestrutura, tendo se efetivado minimamente em nosso estado apenas através de concertos-aula, iniciativas pontuais em escolas (principalmente estaduais) e algumas parcerias em cidades com projetos da sociedade já renomados - como é o caso da cidade de Goiana, única na Mata Norte, detentora das duas bandas mais antigas não só locais, mas de toda a América Latina.

A fragilidade da proteção se faz fortemente perceptível, com conselhos ambientais e mecanismos de preservação pouco consolidados nas instâncias governamentais, além de impactantes casos de erosão marinha, em decorrência da retirada e devastação total das restingas, uma cobertura vegetal característica dessas localidades e que reforçam o solo - impedindo justamente o avanço sem limites das águas. Apesar de tudo, o esforço persistente de ativistas e coletivos ambientalistas conseguiu evitar essa descaracterização completa e ainda contribuiu para aliviar os impactos de verdadeiros desastres (como o derrame de óleo), em 2020 e gerando a participação, com outras 295 cidades ao redor do mundo igualmente classificadas, em redes regionais e ainda uma Liga de Mulheres pelo Oceano. Hoje, celebramos esta data em todo o planeta com diversas iniciativas, como homenagem a arte que mais une as pessoas, sem preconceito, tornando-as um só.

 

Nesse contexto, a avaliação das variações na estrutura de articulação ao longo da costa e seu padrão de distribuição podem fornecer valiosas informações sobre os principais processos atuantes em defesa das praias e seus ecossistemas. Na reportagem abaixo do JC, há uma breve demonstração de como precisamos evoluir mais na institucionalização de medidas.

Perspectivas para a Década

"Agir local, para uma transformação global", tem sido o lema de muitos ativistas que puderam compreender desde muito cedo a interligação dos fenômenos da natureza e suas consequências na vida de todos. "Onde há música não pode haver maldade". Mais do que um bem comum, os oceanos podem ser nossa salvação. Os oceanos cobrem 71% do planeta, mas ainda os conhecemos pouco. Isso se deve, principalmente ao fato, que para realizar pesquisas nesta área ainda se demanda um custo muito alto, porque são necessárias embarcações e equipamentos tecnológicos. Soma-se a isso, a falta de informações sobre os efeitos das atividades humanas sobre eles, como a poluição. Portanto, o principal é desafio é: como ampliar e democratizar o acesso máximo às iniciativas existentes? Ressalta-se que só o litoral do Brasil tem quase 8 km de extensão, sendo sua costa ao lado do Oceano Atlântico - Pernambuco, por sua vez, é estado litorâneo, por isso, temos ainda mais o dever de discutir sobre esta temática. 

 

A educação ambiental tem fundamental importância, ela contribui para o desenvolvimento das pessoas. Além de ser um ótimo lugar para quem busca paz e sossego, ela atende a todos os públicos, de bebês a idosos. Além de apenas iniciação ambiental, a sociedade, por suas carências sociais, acaba por precisar de incentivos adicionais para permanecer inserida no ambiente - ou seja, mais do que somente pensarmos as dinâmicas de ensino em si, é necessário pensar os contextos do público. No cenário de fragilidades sociais diversas e ainda baixos índices de capacidade de efetividade governamental, a maioria dos projetos encontrados em nossa faixa litorânea (uma área onde residem aproximadamente 60% da população pernambucana) servem ainda como fontes essenciais de transmissão de aspectos elementares de cidadania, fomentando mudança, garantindo a redução de riscos de impactos de desastres, além de compreensão e acesso à direitos, elevando a qualidade de vida em geral.

O mundo mudou e estamos nos adaptando às novas rotinas. A pandemia impactou as nossas vidas disruptivamente e as populações estão buscando dar as respostas que as comunidades precisam. Por essa razão tem voltado seus esforços para as populações em situação de vulnerabilidade. Mais do que nunca o conceito de educação ambiental vem se tornando cada vez mais importante, já que o planeta vivencia um período de constantes transformações. A paisagem natural, modificada pelas intervenções humanas, faz surgir a necessidade de incorporar a educação ambiental no cotidiano das pessoas

Estruturar bem o financiamento é indispensável e primordial inclusive para permitir a ampliação, conforme atestam os projetos de salvaguarda da vida marinha, e campanhas permanentes e eficazes de coleta seletiva e descarte de lixo possam ser concretizadas. Tal patrocínio é imprescindível para a manutenção de algumas delas e nós devemos tê-las como algo sagrado. Apoiados, por vezes, pelos governos locais, podem ser responsáveis por encaminhar ainda as denúncias recebidas aos agentes públicos dentro de suas estruturas, para prestação de informações e, quando necessário, apuração de condutas apontadas nas manifestações recebidas. 

Desafios para a Década

10razoesoceano.jpg

 Equilíbrio Global: Década do Oceano, 10 anos para nunca mais tirarmos os olhos do mar (arte Oceano para Leigos).

  • A influência do ambiente impacta diretamente o contexto social e profissional de pescadores e o turismo. E esse é um dos objetivos dos projetos: o aprimoramento da cidadania

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a maior ameaça aos oceanos é a poluição por plásticos. Esses produtos se degradam pelo ambiente até formarem microplásticos, incorporando-se em praticamente todos os tipos de ambientes, gerando grandes impactos à biodiversidade e, consequentemente, aos processos ecológicos marinhos, necessários à manutenção desses ambientes. Cientistas estimam que 14 milhões de toneladas de microplásticos estão depositadas no fundo dos oceanos. O descarte incorreto espalha lixo pela costa, polui as águas e ameaça a vida selvagem. Aqui no Brasil, uma pesquisa revelou que quase metade do lixo despejado nas praias é de plástico.

A pesca artesanal sempre garantiu a sobrevivência de milhares de brasileiros nos mais de oito mil quilômetros da costa brasileira. As diversas pressões da vida moderna têm mudado esse modo de viver característico do povo do litoral. A degradação ambiental, a pesca industrial e a pressão urbana fecham o cerco sobre essas populações. Vivendo ao longo do litoral brasileiro há mais de 500 anos, comunidades de pescadores sofrem com o impacto da pesca industrial e têm o estilo de vida ameaçado. 

  • Estruturar o atendimento presencial para possibilitar um espaço didático e atendimento humanizado, baseado nas necessidades

Para isso, todos os países deverão criar uma “cultura oceânica”. Isso quer dizer que é preciso ampliar os acordos de cooperação entre os países para a conservação dos oceanos, a proteção das zonas costeiras, bem como diminuir os impactos sobre estes ambientesA humanização tem como objetivo criar uma nova postura e comportamento, que possa instaurar melhores padrões de convivência entre seres humanos e o meio ambiente e oportunizar uma compreensão mais holística (universal) de suas ações e as mudanças climáticas. Para isso, é necessário proporcionar um ambiente de fácil acesso e presteza dos serviços: atentar à acessibilidade, sinalização e horário amplo de atendimento (inclusive com coletores nas cores da coleta seletiva, para viabilizar a assimilação correta e ágil de descarte de lixo), assim como a qualidade das instalações e equipamentos para campanhas de limpeza, capacitação para conduta adequada nos ambientes costeiros para atividades de fins de lazer/turismo.

No Brasil, e no estado, vários projetos comunitários visam fomentar a conscientização social da sociedade, inclusive por meio de ações de limpeza - uma rede nacional celebrou, em 2022, xx anos de existência. São locais em que, acompanhados ao longo de anos de curso, os alunos de redes públicas de ensino, residentes em diversos pontos da Região Metropolitana do Recife, aprendem a construir ainda as primeiras noções de cidadania e mecanismos de preservação.

  • Diversificar formas de alcance e quebrar noções limitadoras: Re-Imagine um mundo conectado pela Conservação e Preservação

Playing for Change é um movimento criado para inspirar e conectar o mundo através da música, nascido do ideal de que a música tem o poder de romper fronteiras e superar distâncias entre as pessoas. O foco principal é gravar e filmar músicos que atuam em seus ambientes naturais (metrôs, praças, ruas, entre outros) e combinar seus talentos e poder cultural em vídeos inovadores que chamam de "Músicas ao redor do mundo" (Songs Around the World). Produtor premiado de um Grammy Award e co-fundador, Mark Johnson gravou e filmou música em mais de 60 países e dedicou a sua vida a ligar o mundo através da música - conheça mais a respeito através da entrevista a seguir.

A Relevância dos Esforços Comunitários

Construir o dia de amanhã é uma tarefa de toda a sociedade, assim como preparar as crianças para um futuro mais sustentável e responsável. Na maioria das vezes, inclusive a proteção de ativistas e coletivos ambientalistas é o único mecanismo de preservação, contenção e alívio de danos aos problemas ambientais em diversos bairros do litoral pernambucano e do país. O apelo do Movimento Salve Maracaípe para políticas ambientais e respeito ao meio ambiente e à sociedade para os governos (Prefeituras de Ipojuca e Governo Estadual) já há mais de uma década, foi essencial para permitir que a praia chegasse aos dias atuais preservada e uma referência em Pernambuco.

Criada com o objetivo de fortalecer a democratização do acesso ao livro e à cultura escrita, a Releitura atua através de ações desenvolvidas em cada biblioteca. A Releitura se destaca por ser a pioneira na articulação em rede de  bibliotecas comunitárias do Brasil, e influenciou a formação de outras redes de bibliotecas comunitárias no país. Hoje, ela integra um conjunto de vários outros coletivos em diferentes estados brasileiros, todos voltados para o livro e cultura literária. A Releitura - Bibliotecas Comunitárias em Rede de Pernambuco é uma articulação iniciada no ano de 2007 com quatro bibliotecas comunitárias. Com o tempo, outras três se juntaram ao coletivo para buscar o aprimoramento, a formação e o fortalecimento político e pedagógico, além da troca de informações e da ajuda mútua. Atualmente, mantém integradas sete bibliotecas comunitárias. Sua atuação abrange os municípios de Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Recife. Atende a cerca de 15.000 pessoas, em sua maioria crianças, jovens e adolescentes, focando também em suas famílias.

Outros festivais, embora não tenham esse universo como substância, somam esforços no sentido de ampliar a descoberta e a valorização de artistas da terra, como o Coquetel Molotov (já em sua 18ª edição). O evento também realiza o Coquetel Molotov Negócios, braço que tem foco na profissionalização da cadeia artística e musical. A capital ainda desfruta do projeto itinerante Som na Rural.

Construir o dia de amanhã é uma tarefa de toda a sociedade, assim como preparar as crianças para um futuro mais sustentável e responsável. Na maioria das vezes, inclusive a proteção de ativistas e coletivos ambientalistas é o único mecanismo de preservação, contenção e alívio de danos aos problemas ambientais em diversos bairros do litoral pernambucano e do país. O apelo do Movimento Salve Maracaípe para políticas ambientais e respeito ao meio ambiente e à sociedade para os governos (Prefeituras de Ipojuca e Governo Estadual) já há mais de uma década, foi essencial para permitir que a praia chegasse aos dias atuais preservada e uma referência em Pernambuco.

O Papel e a Capacidade Governamental

O Brasil possui uma riqueza cultural e artística que precisa ser incorporada, de fato, no seu projeto educacional. Isso só acontecerá se escola e espaços que trabalham com educação começarem a valorizar e incorporar, também, ao seu contexto de vivências. A lei federal 11.769, de 2008, determina que a música deve ser conteúdo obrigatório em toda a educação básica. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB desvinculou a educação regular do ensino profissionalizante e o MEC criou o Programa de Expansão da Educação Profissional - PROEP, com vistas a implementar as reformas da educação profissional no Brasil.

A partir dessa normatização, a Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, e a atual Presidência do CPM, conseguiram a aprovação do MEC para um projeto que faz do Conservatório Pernambucano de Música - CPM, um dos Centros de Educação Profissional do Brasil na área de música, oferecendo cursos em todos os níveis: da iniciação ao curso técnico de música. Planejar, gerir e executar políticas públicas e respectivas atividades de ensino, pesquisa, promoção e difusão da Música do Estado de Pernambuco; objetivando a valorização da cultura, excelência na formação de profissionais e sendo agente para o desenvolvimento social através da arte musical. Uma missão firmada no decreto 30.362, de 17 de abril de 2007, que aprova seu regulamento, e o consolida como um polo de estímulo à arte musical, de avanço tecnológico e de mudanças nas relações do trabalho, projetando-se como referência nacional na educação musical.

A educação ambiental surge como uma grande ferramenta de combate aos crimes ambientais, pois garante o desenvolvimento das capacidades intelectuais necessárias para uma participação social efetiva. Cidadãos corretamente informados, cientes da importância da natureza e da influência de suas ações nos sistemas naturais, têm mais discernimento para intervir de modo positivo nas gestões públicas, exigindo decisões a favor da qualidade do meio ambiente. Entre os benefícios de promover educação ambiental na escola, e são também um momento de lazer para os estudantes - para os alunos que residem em localidades com altos índices de violência ou precariedade urbanística especialmente, é um momento que contribui para aliviar tensões levadas à escola.

Para construir o retrato da situação dos Planos Estaduais e Municipais do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (#PELLLBs e #PMLLLBs) em todo o país, a “Rede Leitura e Escrita de Qualidade para Todos” (#LEQT) realiza até o próximo dia 15 de setembro uma pesquisa coordenada por José Castilhos e Renata Costa, ex-secretários executivos do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), entrevistados na live abaixo da #Biblioo.

  • A estruturação em nível municipal

Apesar de a lei federal 11.769, de 2008, estabelecer a obrigatoriedade do ensino de música nas escolas de educação básica, nem todas as escolas públicas do estado oferecem o conteúdo no currículo. Não há professores suficientes para essa implementação. No entanto, é possível, apesar disso, executar programas estratégicos. A Prefeitura do Paulista chegou a apostar na música para despertar talentos e promover a cultura de paz nas escolas, oportunizando em 30 unidades (quase metade do total existentes) da rede municipal do município alguns concertos aula. O concerto tem como objetivo desmistificar o universo da música clássica para as crianças, ao mesmo tempo em que as sensibiliza para a importância da educação musical. Um exemplo de como começar, mesmo sem ter condições para a universalização de eventos ou até o ensino de instrumentos.

 

Em Goiana, a Prefeitura mantém parcerias com as bandas centenárias locais para desenvolvimento de projetos com os estudantes, e em Recife, o programa Palavra Cantada capacitou os professores de toda a rede municipal para abordarem o ensino musical em atividades cotidianas.

O papel do poder público não é apenas normativo, mas deve criar programas para habilitar professores para o ensino de música na educação básica, como está previsto pela legislação educacional”, enfatiza o professor do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (Unesp), João Cardoso Palma Filho. 

  • A governança costeira eleva a efetividade de atuação dos governos. Uma dinâmica nacional e até regional podem ser fortalecedoras

Ao estimular nos estudantes habilidades que o ajudarão a ter curiosidade por diversas culturas e a criar possibilidades de ação em busca de um mundo melhor. A rede das bibliotecas municipais públicas da capital (ligadas aos 4 equipamentos Compaz) fazem parte dessa abordagem que incorpora o conceito de biblioteca viva, de convivência e de transformação do ser humano através da literatura, das artes, da música, do teatro, do cinema e da cultura popular. OOs convidados abordaram, a partir de suas vivências, a temática da Agenda 2030 da ONU, que trata do papel das bibliotecas na sociedade. O acervo é riquíssimo e disponível para toda a comunidade, confira abaixo. 

  • A educação ambiental eleva a compreensão e envolvimento com a cultura local. Esse viés também pode  ser abarcado no processo pedagógico

Ao estimular nos estudantes habilidades que o ajudarão a ter curiosidade por diversas culturas e a criar possibilidades de ação em busca de um mundo melhor. A rede das bibliotecas municipais públicas da capital (ligadas aos 4 equipamentos Compaz) fazem parte dessa abordagem que incorpora o conceito de biblioteca viva, de convivência e de transformação do ser humano através da literatura, das artes, da música, do teatro, do cinema e da cultura popular. OOs convidados abordaram, a partir de suas vivências, a temática da Agenda 2030 da ONU, que trata do papel das bibliotecas na sociedade. O acervo é riquíssimo e disponível para toda a comunidade, confira abaixo. 

  • A educação ambiental eleva a compreensão e envolvimento com a cultura local. Esse viés também pode  ser abarcado no processo pedagógico

O Programa Bandeira Azul é um prêmio ecológico atribuído anualmente pela Fundação para a Educação Ambiental. O Programa Bandeira Azul promove o desenvolvimento sustentável em áreas de água doce e marinhas, desafiando as autoridades locais a alcançarem altos padrões de qualidade em quatro temas: qualidade da água, gestão ambiental, educação ambiental e segurança. Ao longo dos anos, a Bandeira Azul tornou-se um rótulo ecológico reconhecido, trabalhando para reunir os setores de turismo e meio ambiente.O programa contempla praias e marinas que cumpram um conjunto de requisitos relacionados à qualidade ambiental, balneabilidade excelente, segurança, bem estar, infraestrutura de apoio e sensibilização ambiental. Os requisitos incluem vários parâmetros que devem ser cumpridos em base diária para que o local receba o prêmio. O primeiro é a questão da qualidade da água, que deve ser de excelente nível de balneabilidade, sem resquícios de poluição. Um outro aspecto é a informação e educação ambiental, que servem para conscientizar os moradores locais e os turistas. O terceiro ponto é a conservação do meio ambiente local, o que inclui ações de limpeza e fiscalização do ambiente. O quarto inclui a segurança e infraestrutura de apoio, que inclui também a acessibilidade para pessoas com deficiências.

 

Esses critérios são bastante exigentes. No país, a cidade de Bombinhas (SC) é a que mais tem praias premiadas com o programa Bandeira Azul, da região nordeste, apenas Camaçari (BA) possui praias com o selo. No Brasil, a avaliação dos destinos é realizada por um júri formado pelos ministérios da Educação e do Meio Ambiente, Secretaria do Patrimônio da União, Associação Náutica Brasileira, Agência Brasileira de Gerenciamento Costeiro, Fundação SOS Mata Atlântica e Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático. Anualmente, as entidades se reúnem para aferição do cumprimento dos critérios e deliberação sobre quais praias, marinas e embarcações serão submetidas ao júri internacional.

Panorama do Litoral Pernambucano

Panorama do Litoral Pernambucano

O acervo oportunizado nesta parte propõe-se a auxiliar a compreensão da trajetória das nossas iniciativas locais metropolitanas, promovendo a coleta, organização, e socialização da memória institucional, pois possuem vasta experiência de atuação com as comunidades do entorno, formando jovens, transformando-os em músicos profissionais dos mais diversos instrumentos musicais, projetando talentos da música para todo o estado, contribuindo também diretamente para a preservação e difusão das expressões artístico-culturais do universo da música - o que rendeu inclusive o título de Patrimônio Vivo Cultural pelo Governo de Pernambuco a alguns dos mais consagrados e antigos, como as bandas centenárias de Goiana. No repertório, músicas clássicas e populares.

 

Em âmbito federal, a OGU já possui um normativo estabelecendo critérios para nomeações, e que deveria servir de guia para adoção de parâmetros semelhantes em nível local. No estado, a Ouvidoria do Governo Estadual é referência nesse aspecto desde 2013, a partir do Decreto Estadual nº 39.675/2013, que estabeleceu como requisitos não só o devido conhecimento técnico para o exercício da função (normas e legislação), como ser servidor efetivo e a obtenção de certificação oficial em capacitações especializadas oferecidas tanto em nível estadual como nacional. 

A Orquestra Criança Cidadã vem, a cada ano, se projetando cada vez mais como um programa social exemplar. Em seus quase 15 anos de existência, recebeu mais de 30 prêmios, incluindo o Prêmio Caixa Melhores Práticas em Gestão Local, de âmbito nacional. Na esfera internacional, a Organização das Nações Unidas escolheu a Orquestra como uma boa prática de inclusão social, em dezembro de 2010. E, em 2015, tornou-se a primeira escola de música das Américas e a segunda do mundo a fazer parte do Programa de Escolas Associadas da Unesco.

Além das condições de infraestrutura e patrocínios previstos para funcionamento, bem como os canais adotados para atendimento (com meios de contato à disposição), apresentamos também o perfil dos iniciativas. Os comentários sobre condições decorrem de conteúdos dos websites oficiais da Secretaria de Cultura Estadual e dos próprios projetos, compartilhados até nas redes sociais, e que acabam por refletir a presença ou falta de recursos para sua atuação. A referência utilizada para o quantitativo populacional ajuda a entender o porte e abrangência de atendimento, com uma estimativa de 2020 do IBGE, assim como a importância de atrelar a uma política da educação municipal, considerando os indicadores do IDEB. Infelizmente, são ainda praticamente inexistentes ou sem qualquer publicidade na região oeste da RMR e Itamaracá, por isso, sem descrições (caso conheça algum, não deixe de entrar em contato!).

  • Tópico Especial: O Desafio da Restauração da Restinga em todo o Litoral

O crescimento populacional e consequentemente, a ocupação desordenada na faixa litorânea, aumentam a pressão sobre os recursos naturais costeiros, levando a degradação destes, e de outros ecossistemas litorâneos interligados, como os recifes, estuários, restingas, campos de dunas, entre outros, que têm a função de proteger o litoral. Levando-se em consideração que dois terços dos polos urbanos no mundo são litorâneos, pode-se concluir que a ausência de um programa ambiental exerce um grande peso nesses ecossistemas. O litoral pernambucano não fica fora dessa realidade. Inúmeras são as ações impactantes atreladas a soluções sem fundamentação científica, ineficaz e com reparos desastrosos: dentre elas, especialmente, as custosas e inúteis obras de 'contenção do avanço do mar'.

recuperacaorestinga.png

Os Recifes de Corais são verdadeiras florestas submersas e sua restauração e preservação igualmente importantes. Ocasiões festivas podem proporcionar também momentos de encontros inesquecíveis: em 2019, no Cais da Alfândega, no Recife Antigo, tivemos um para marcar a história. A iniciativa segue uma ideia do compositor Heitor Villa-Lobos (1887-1959), um dos maiores expoentes da música clássica nacional: unir o Brasil em um só coração através da música e a crença de que a maior riqueza que um país pode exportar é a cultura. Foi a primeira vez que tocaram juntos. Os eventos contaram com a promoção da Fundação Banco do Brasil e do SESI/SP e FIESP, e local pela Prefeitura do Recife (via Fundação de Cultura).

portodegalinhasrecifedecorais.jpg
  • Tópico Especial: A Balneabilidade das Praias

A Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH) executa semanalmente a verificação de trechos em todo o litoral do Estado a fim de monitorar os níveis de balneabilidade e manter os banhistas bem informados sobre a qualidade da água. O acompanhamento da qualidade das praias foi iniciado em 1974, quando algumas campanhas de amostragem eram realizadas na Região Metropolitana do Recife, em determinados períodos do ano, principalmente no verão. Desde 1986, foi instituído um programa sistemático de avaliação em todo o litoral pernambucano, que evoluiu bastante e, atualmente, o Programa de Monitoramento da Qualidade das Praias de Pernambuco conta com 50 pontos de amostragem distribuídos em onze municípios, situados em três regiões geográficas.

A classificação das águas está baseada nas normas estabelecidas na Resolução CONAMA Nº. 274/00, que define padrões de qualidade da água destinada à balneabilidade, que se entende como um contato direto e prolongado com a água, onde existe a possibilidade de ingerir quantidades consideráveis de água (prática de mergulho, natação, esqui-aquático, etc.). Segundo essa Resolução, as águas doces, salobras e salinas destinadas à recreação podem ser classificadas em quatro categorias: Excelente / Muito Boa / Satisfatória ou Imprópria (as três primeiras podem ser reunidas em uma única categoria denominada "Própria"). Os boletins podem ser conferidos por qualquer interessado(a) na página oficial do Informativo Semanal.

  • Tópico Especial: Inclusão de Deficientes

O projeto Som da Pele, criado em 2009 pelo professor de música Irton Silva promove algo que para muitos é impensável: o ensino de música para deficientes auditivos. Por meio de sequências de luzes, os alunos aprendem ritmos como frevo, ciranda e maracatu.

  • Tópico Especial: O Gigantesco Derrame de Petróleo

Pernambuco foi o primeiro estado a registrar o surgimento de óleo, no dia 2 de setembro. O que começou com manchas pontuais, virou grandes aglomerados de petróleo cru por todo o Nordeste. Segundo o Ibama, foram mais de 200 praias atingidas. O óleo que atinge o litoral brasileiro não contaminou apenas praias e mangues, causando danos à vida marinha: atingiu também as pessoas, especialmente as mais vulneráveis, que dependem do mar e do turismo. Duas das universidades de ponta no estado (UFPE e UFRPE) desenvolveram pesquisas sobre os impactos do desastre inédito em nosso litoral. A seguir, é possível conferir uma apresentação dos primeiros resultados.

Barreiros

A cidade possui 42. 866 habitantes. A 124 km do Recife, o município de Barreiros esconde belezas selvagens em seu litoral. Ali, os visitantes vão se encantar pela beleza de praias ainda pouco frequentadas, como a Praia do Porto, que é famosa pela ilhota do coqueiro solitário em pleno mar e uma das mais belas praias de Pernambuco. A Praia do Porto (onde foram gravadas cenas da novela global A Indomada e praticamente na divisa de Pernambuco e Alagoas) ainda continua quase intocada e cercada de belezas naturais, histórias e folclóricas, que cativam ainda mais os visitantes. Outros passeios naturais são feitos pelo Rio Una, com suas corredeiras e ilhotas, e pela Praia de Mamucabinhas, fronteira com a famosa praia de Tamandaré, onde está localizada a foz do Rio Mamucabas.

 

Localiza-se a 7 km do centro da cidade, ao longo do trajeto se encontra resquícios de Mata Atlântica, oportuno para trilhas e observação de pássaros; a costa tem-se uma extensão de 4,5 km, que se divide entre as praias de Mamucabinha ao norte, Praia do Porto no centro e Val do Una ao sul. o litoral da cidade que faz parte da APA Guadalupe (Área de Proteção Ambiental de Guadalupe), que incorpora mais outras quatro cidades vizinhas.

| Perfil da Atuação Municipal

[Não Possui]

apaguadalupe.png

| Infraestrutura dos Projetos Comunitários

[Não Possui]

Cabo de Santo Agostinho

A cidade do Cabo possui 208.944 habitantes. O protagonismo cívico tornou-se um símbolo e uma expressão marcante do ambientalismo do município através do trabalho pioneiro e reconhecido de Estevão Santos e a ONG Onda Limpa, com atuação em 3 das 9 praias do litoral cabense. Entre os seus vários trabalhos destacam-se as expressivos coleta seletiva com apoio comunitário, uma caminhada ecológica que marca a Semana do Meio Ambiente, além de diversos eventos em parceria com diversas instituições e coletivos do estado. 

Cabe destacar que prefeito (Keko do Armazém/PL) assinou, este ano (2022), o contrato de operação de crédito no valor de R$ 90 milhões junto à Caixa Econômica Federal, por meio do Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), para realizar obras na infraestrutura do litoral do Cabo de Santo Agostinho. De acordo com a prefeitura, as obras que integram o contrato encaminhado à Caixa são serviços de terraplanagem, pavimentação e drenagem em mais de 160 ruas; requalificação urbana da orla de Gaibu; enrocamento da praia de Gaibu (solução técnica emergencial para conter o avanço do mar); requalificação da estrada de acesso à Suape; Canal do Boto, construção do Centro de Atenção ao Turista (CAT), dentre outras intervenções viárias.

| Perfil da Atuação Municipal

 

Cabo de praias novas

galhosrestinga.png

| Infraestrutura dos Projetos Comunitários

 

Com mais de uma década de existência, o movimento da ONG Onda Limpa para Gerações Futuras começou da luta do artesão e surfista Estevão Santos da Paixão e amigos em outubro de 2008. Após o feriadão de 7 de setembro do ano, a praia de Itapuama ficou entulhada de resíduos sólidos. Confrontados com a triste situação, um grupo de cidadãos comuns e moradores da orla resolveram arregaçar as mangas, não somente para coletar a sujeira de terceiros, mas, principalmente, para evitar que os efeitos de novos fins de semanas prolongados fossem tão danosos à praia quanto aquele. Hoje, somam um grande legado de conscientização, ultrapassando as fronteiras do estado e seguem plantando a transformação local.

Outros projetos, entretanto, acrescentam iniciativas em outras praias: é o caso do NUMA (Núcleo de Mulheres em Ação), em Enseada dos Corais, e do Eco Sup Suape, com trilhas ecológicas e mutirões de limpeza de manguezais e do entorno da Praia de Suape. Em adendo, o Fórum Suape Espaço Socioambiental é uma organização que defende os direitos territoriais e socioambientais das comunidades atingidas por Suape.

Contatos

Avenida Beira Mar, Itapuama – Trailer 222 - Cabo de Santo Agostinho

Telefone WhatsApp (81) 98787-7383  |  E-mail: ondalimpaprojeto@gmail.com | Instagram Oficial